PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 300 visitantes e Nenhum membro online

Escola de Fé e Política Waldemar Rossi

Democracia nascida, pós ditadura civil/militar

Em 26/10, a Escola de Fé e Política Waldemar Rossi refletiu sobre a Democracia nascida, pós ditadura civil/militar com assessoria de Waldemar Rossi

A mística inicial partiu do texto:

Não oprimas o teu irmão

(Lv. 19, 13 e 33-34) – Não oprimas o teu próximo, nem o explore, e que o salário do operário não fique com você até o dia seguinte.

Quando um imigrante habitar com vocês no país, não o oprimas. O imigrante será para vocês um cidadão: você o amará como a si mesmo, porque vocês foram imigrantes na terra do Egito. Eu sou Javé, o Deus de vocês.

(Sl. 17, 8-9) Guarda-me como a pupila dos olhos, esconde-me à sombra de tuas asas, longe dos injustos que me oprimem, dos inimigos mortais que me rodeiam;

(Pv. 14, 31) Quem oprimo o fraco ofende a Deus, mas quem se compadece do indigente honra o Criador.

(Zc. 7, 10) Não oprimam a viúva e o órfão, o estrangeiro e o pobre; e ninguém fique , em seu coração, tramando o mal contra seu irmão.

(Tg. 2, 5-6) Ouçam, queridos irmãos: Não foi Deus quem escolheu os que são pobres aos olhos do mundo, para torná-los ricos na fé e herdeiros do Reino que Ele prometeu àqueles que o amam? E, no entanto, vocês desprezam o pobre! Ora, não são os ricos que oprimem a vocês e os arrastam perante os tribunais? Não são eles que difamam o nome sublime que foi invocado sobre vocês?

 

 

Em seguida, Waldemar Fez um relato histórico sobre os fatos que antecederam a ditadura com base na texto a seguir.

 

POR QUE HOUVE O GOLPE CIVIL/MILITAR NO BRASIL?
Quais os seus frutos, hoje?

 

Plano de Getúlio durante a guerra; medidas adotadas; exigências para empresas estrangeiras;

 

Retomada da ação dos USA visando ocupar espaços na América Latina; pressão sobre Getúlio com colaboração da burguesia nacional conservadora – UDN;
Suicídio de Getúlio; eleição de JK, abertura para as multinacionais; entrada das primeiras empresas;
Eleição de Jânio/Jango; tentativa de golpe de Jânio com sua renúncia; posse de Jango com sistema parlamentarista; vitória do não no plebiscito.
Projeto de Reformas de Jango; mobilização social, reação da burguesia e militares;
Golpe civil/militar; Cassação de Jango; intervenção nos sindicatos, políticos, professores;
Plenas liberdades e total garantia para as multinacionais e arrocho econômico sobre a indústria brasileira; Atos Institucionais (1, 2, 3, 4) Fechamento do Congresso; imposição do bipartidarismo (Arena e MDB - Sim e Sim senhor) Alteração no sistema representativo; fim das eleições diretas; nomeações de senadores, deputados, governadores e prefeitos das capitais e grandes cidades;
Ataque aos direitos trabalhistas via Decretos Leis; fim da estabilidade e instituição do FGTS; reajustes salariais via Decreto Lei
Reação dos trabalhadores em 1968 com o MIA, 1º de Maio na Sé e greve em Osasco e Contagem (MG);
Reação Estudantil; partidos políticos clandestinos; ação armada; AI-; cassação de todos os direitos de todos os cidadãos e cidadãs;
Prisões, interrogatórios, torturas, sumiços e assassinatos;
Censura na mídia, fortalecimento dos grandes jornais; criação da Rede Globo...;
Reação pela organização de base; crescimento das CEBs e Pastorais Sociais, retomada lenda do Movimento Estudantil;
Ação de D. Paulo, formação da CJP, denúncias, apoio às famílias e presos políticos
Propaganda do Brasil industrial, migração em massa; inchaço das grandes cidades; mão de obra abundante e de reserva;
Esvaziamento do campo e inchaço das cidades; ocupação das terras por grandes empresas inclusive estrangeiras; Agro Negócio;
Condições precárias de moradia, transporte, educação, assistência médica; carência de creches, iluminação e de saneamento básico;
Implantação de um sistema de corrupção na compra de apoio em todos os campos;
Incentivo à Educação e Assistência Médica particulares, precarização desses serviços públicos;
Crise de superprodução, desemprego; crise do petróleo afetando os planos econômicos brasileiros;
Crescimento da Dívida Externa e Interna; enfraquecimento do sistema;
Retomada dos movimentos sociais (greves, estudantes e movimentos populares)
Fim da ditadura; eleições indiretas e garantia de continuidade do sistema econômico;
Novos partidos políticos; esquerda ocupando espaços (PT,PCB, PC do B, PS, PDT...)
1989; Consenso de Washington e implantação da política neo-liberal em todos os países da Ale Caribe – exceto Cuba.
Fracasso do governo Sarney; eleição manipulada do Collor de Mello; impedimento;
Itamar Franco, FHC como Ministro do Exterior (Itamarati); Viagem do FHC aos EUA; retorno como Ministro do Planejamento; Plano Real;
Eleição do PSDB (FHC, Covas e tantos outros);implantação do Estado Mínimo, privatarias; subordinação ao FMI; Lei de (ir)Responsabilidade Fiscal; Economia totalmente nas mãos do capital multinacional;
Precarização da Educação, da Saúde, do Transporte, da Assistência Social;
Fechamento de indústrias, nova tecnologia, desemprego estrutural, rebaixamento do padrão de vida do trabalhador; crescimento da miséria, menores abandonados, moradores de rua;
Reação do Movimento Social, crescimento da repressão;
Eleição do Lula e continuidade da política neoliberal; denúncias da corrupção oficial; desgaste do petismo com a Dilma
Reação esperada da direita com o crescimento do conservadorismo. Fim do Lulopetismo?
Crise econômica do capital internacional e cobrança do preço para os povos; sequestro de direitos, mais rebaixamento do padrão de vida; aumento da miséria, do narcotráfico, da violência, da insegurança, do desespero de muitas mães;
Maior rebaixamento do sistema de ensino; criar várias gerações de semi-alfabetos, de gente sem condições de maior julgamento político a fim de permitir o avanço do sistema de dominação e exploração.
Onde se reflete toda essa situação, senão nas cidades? Onde faltam escolas de qualidade, saúde, transporte, saneamento? 
 
O que podem esperar as presentes e futuras gerações? Que perspectivas de vida têm pela frente?
Qual o nosso papel, hoje? O que nos cobra o Evangelho?
 

{play}radio/MARCIA-DemocraciaDitadura-29-10-15.mp3{/play}