PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 36 visitantes e Nenhum membro online

Senhor, Aumentai a Nossa Fé!

Em virtude dos 50 anos do Concílio Ecumênico Vaticano II (1962-1965) o Papa Bento XVI exorta todo o Povo de Deus a revigorar a fé. Convoca toda a Igreja para promover o Ano da Fé que iniciou em 11.10.2012 e vai até o Domingo de Cristo Rei do próximo ano em 24.11.2013. Em resposta a esse chamado do Papa, o Cardeal Dom Odilo Scherer, Arcebispo Metropolitano, escreveu à Arquidiocese de São Paulo a 2ª Carta Pastoral intitulada: Senhor, aumentai a nossa fé!

Caso você ainda não tenha recebido, procure a Carta de D. Odilo na sua paróquia. Essa carta está disponível no site da Pastoral Fé e Política que é www.pastoralfp.com no menu biblioteca.

logo-ano-da-fePertencemos à Igreja Católica Apostólica Romana e a dimensão apostólica envolve a promoção integral da fé da Igreja, recebida dos Apóstolos e daqueles que nos antecederam, nossos avós, pais, catequistas, padres, leigos, enfim todos aqueles que semearam a fé em nossos corações. A dimensão apostólica, nos diz D. Odilo, é a primeira e mais importante missão da Igreja, que também nós devemos continuar hoje. A fé é um dom precioso, que Deus nos concede por graça; mas precisa ser nutrida, do contrário, ela pode tornar-se fraca, esfriar e até se extinguir.

A primeira parte da Carta Pastoral inicia com o convite para termos Olhos fixos em Jesus, autor e consumador da nossa fé! Essa frase foi extraída de um texto bíblico da Carta aos Hebreus (cf Hb 12,2) e foi dirigida a uma comunidade que passava por dificuldades e crises de fé, desânimo e abandono da fé em Cristo. Nos convida a prosseguirmos firmes na fé, sem desanimar, com o olhar fixo em Jesus Cristo, que está na origem de nossa fé cristã e é capaz de a sustentar e levar até à perfeição (cf Hb 10, 32-12,13). Também hoje nos sentimos desanimados ao contemplar os fatos de dia-a-dia em relação à politica, à economia, à segurança pública enfim de tudo aquilo que envolve nossa vida. Mas com os olhos fixos em Jesus, fortalecemos a nossa fé e sabemos que Ele nos convida a estar a serviço do Reino de Deus, oferecendo nossa ação e as vezes a nossa voz àqueles que não tem voz, nem vez. A partir da fé o cristão busca que seu bairro, sua cidade, seu país seja cada vez mais justo. Para isso ocorrer todos somos pela fé, chamados a colaborar.

Na sequencia da carta de D. Odilo ele nos apresenta a cena de uma mulher doente que no meio da multidão, seguia Jesus e procurava chegar perto dele para o tocar, ainda que fosse apenas nas suas vestes. Na sua fé simples, ela compreendeu quem era Jesus e quis aproximar-se dele, conseguiu e foi curada. Jesus a confortou e disse: “Filha, a tua fé te salvou” (Lc 8,48).

Vivemos um tempo de crise de fé, que se caracteriza pela superficialidade na adesão a Deus, as pessoas escolhem o que mais gostam e que traz mais vantagem. Vivemos um esvaziamento da fé. Podemos falar de um analfabetismo religioso bastante comum e uma fé apenas vaga e superficial, que não é regularmente alimentada.

A frase de Jesus ao nos dizer: “Filha, a tua fé te salvou” é uma frase dita a alguém que conhece de verdade as origens de sua fé e conhece o seu Mestre. Uma vez que fé é a resposta do homem à Deus, que vem ao seu encontro. A resposta do homem não se dá simplesmente no pensamento, na reflexão intelectual ou num sentimento vago, mas com uma adesão pessoal que muda sua vida e que se abre às necessidades do seu irmão. Só valorizamos e amamos aquilo que conhecemos. Como explicar o que não conhecemos? Como explicar o que aprendemos de maneira superficial? Como transmitir o que não amamos?

consumismo-02aNa cultura atual, onde tudo é descartável, tudo vai ao sabor da moda, pela vantagem imediata, pelo menor esforço e o máximo de satisfação, a perseverança na fé é, certamente, mais difícil. No contexto atual facilmente nossa fé é fragilizada e somos convidados a viver intensamente o Ano da fé. Para isso, a cada dia, precisamos alimentá-la por meio da leitura diária e constante da Palavra de Deus. Leitura esta que deve ser atenta, o texto merece ser relido, perceber quem são os personagens do texto. Atentar para o lugar, a situação em que eles estão e qual é a mensagem principal. O que vai ficar gravado na sua mente e no seu coração para que a Palavra de Deus se torne vida nas suas atitudes, se torne vida nas suas escolhas.

A Novena de Natal que estamos realizando também trata do Ano da Fé. Tem como título Natal feliz é Natal com fé! A novena é um dos instrumentos para participarmos deste importante momento da Igreja que é o Ano da Fé. Converse nos encontros sobre como temos alimentado a nossa fé!? Reflita isso junto com o seu grupo de rua! Se você ainda não faz parte de um grupo, tome a iniciativa! Convide seus vizinhos e amigos, adquira os livrinhos da novena na sua paróquia, comece um grupo e se prepare como cristã e cristão para a chegada do Menino Jesus. Fé se traduz em gestos concretos e possíveis de solidariedade que vão reforçar e sustentar a nossa fé e ser sinal de união e de esperança. A partir da nossa fé, vamos amar esse menino nos irmãos que carecem da nossa solidariedade.

 

Fonte: O artigo nos foi enviado diretamente pela autora, tendo sido primeiramente veiculado pela Rádio Nove de Julho (São Paulo/SP)

Márcia M. de Castro

Márcia M. de Castro
Márcia Mathias de Castro é fonoaudióloga, membro da Pastoral Fé e Política da Arquidiocese de São Paulo e Coordenadora da Escola de Fé e Política Waldemar Rossi (RE Belém). Também é colaboradora da Rádio 9 de Julho (AM 1.600 KHz - SP), participou da Escola de Governo e do Movimento de Integração Campo Cidade (MICC).