PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 134 visitantes e Nenhum membro online

J. Thomaz Filho

CLAMANDO ALTO

Pois eles estão lá, bem no Planalto,
clamando pela vida, dom de Deus,
num grande mutirão, clamando alto,
clamando num alerta contra os breus
que vão tolhendo a vida, assim, de assalto.

Pois eles estão lá, em mutirão,
clamando por sua vida e sonhos seus,
clamando pelos rios e pelo chão,
clamando justamente, cireneus
da paz, que só pretende um mundo irmão!

Pois eles estão lá!... Não ser incauto,
indígenas, é eu lhes dar razão!

J. Thomaz Filho

UM SEGREDO

Se Pátria for sinônimo de medo,
de trama, de suborno ou de ódio,
então me distancio desse enredo
nem mesmo que ofereçam algum pódio.
Não cedo pra gatilho nenhum dedo!

Nem mesmo em dose parca esse veneno,
qual fosse de cloreto, esse de sódio,
se afina com meu sonho. Meu terreno
só vai testemunhar-me em episódio
que peça ao meu suor um dia pleno.

A luz, a paz e o bem têm um segredo
chamado mundo irmão: me concateno!

J. Thomaz Filho

VOCÊ, MEU PAI

Você não é figura passageira.
Já foi o meu herói. Hoje é bem mais.
Você tem a dizer pra vida inteira:
tem voz em calmaria e vendavais,
me anima a não ficar ali, à beira.

A vida tem percalços, como não?
Você não me soprou sonhos banais,
me fez pisar bem firme neste chão,
tirando-me da lista dos rivais,
propondo-me o sabor do mundo irmão.

A hora? Não temer a derradeira,
pois ela não é mais do que um portão.

J. Thomaz Filho

ESSE VERBETE

Não vou desperdiçar esse verbete:
amigo é coisa séria, nobre, densa.
No escuro, muito mais que farolete:
clarão, olhar de paz, firme presença.
E sempre da esperança um bom lembrete.

Não é de hora marcada, só de agenda,
tem tempo para as mesas da pertença:
palavra, pão, silêncio... Na contenda,
franqueza e lucidez, não desavença;
madura avaliação, não reprimenda.

Amigo é livro aberto, não bilhete,
é terna gratuidade, jamais venda.

J. Thomaz Filho

ABRAÇAR SEU CORAÇÃO

Como é que eu poderia estar aqui,
não fossem nove meses com você?!
Você cuidou de mim, não só de si,
seu corpo me deu vida, quem não vê?!
Presente que Deus deu, eu compreendi.

É bom eu abraçar seu coração.
Não sei o que o futuro me prevê,
mas sei que posso tê-lo em minha mão.
Não é para cobri-lo com glacê,
você me faz pensar noutra razão.

A vida é dom de Deus. Eu entendi.
Um dom pra que outras vidas tenham chão!

J. Thomaz Filho

PENSANDO EM HARMONIA

Matar umas dezenas é que é o fruto
do bem, da paz, da luz, da inteligência?
Ganhar um bom preparo é pôr em luto
irmãos e pais e filhos, sem clemência?
Será que é mais seguro o mundo bruto?

As mães já não merecem mais respeito?
Pensando em harmonia e convivência,
será que elas concordam com tal feito?
Será que elas aprovam delinquência?
E a morte programada desse jeito?

Será do mundo irmão esse produto?
Se não, é de qual mundo tal efeito?

J. Thomaz Filho

ENQUANTO REMOEMOS

Enquanto remoemos tantas dores,
mulheres vão pra lá, pra ver de perto!
E trazem uns palpites promissores
pro nosso coração todo deserto,
pros nossos olhos tristes, desertores...

Não vamos, desta vez, levar em conta?
Por que não lhes dar crédito? Por certo
a fala que propõem não desaponta,
é exato o que queremos!... Peito aberto!...
O que elas vêm dizer não amedronta!...

É sim! Ressurreição! Por que temores?
O Mestre é bem maior que toda a afronta!

J. Thomaz Filho

SABIA DA FRAQUEZA

Sabia da fraqueza de um por um,
mas não se rebelou contra ninguém.
Sabia da injustiça, tão comum...
Sofreu. Mas, na resposta, sempre o bem!
Foi firme. Com revide?... Não, nenhum!

Fiel a dois propósitos, de fato.
Primeiro: “Quem entende o que convém
é o Pai, então que eu seja o seu retrato”.
Segundo: “Para o mal nenhum porém”,
chamando à consciência em cada ato.

E foi levado à cruz – sem crime algum!...
À paz, ao bem, à luz só desacato?

J. Thomaz Filho

NÃO ACABOU - Dia da Mulher 2021

Você se levantou bem destemida.
Quem disse que era a sombra o seu lugar?
Você mostrou que estava demitida
já antes de deixarem-na provar
que havia competência em sua lida.

Foi muita paciência, persistência,
coragem de jamais desanimar.
Você vai comprovando eficiência
em todas as funções... A desejar?
É claro: que vigore a coerência!

Já chega de impostura e de ferida!
Porque não acabou toda a insolência...

J. Thomaz Filho

A PAZ NÃO VEM DE FORA

A paz está batendo, quer entrar...
Um sonho, me disseram, tão bonito!
Porém, sonhar assim, não vou sonhar.
Senão vou me enganar, entro em conflito
com tudo o que a esperança quer plantar.

A paz não vem de fora, assim, tranquila.
A paz não é pra um sonho assim, restrito,
pra dentro dos meus muros... Pede a vila,
as ruas da cidade, o chão proscrito
da voz dos mil irmãos na grande fila.

A paz mexe por dentro, quer sarar
a dor do vil desdém, que a aniquila.

J. Thomaz Filho

J. Thomaz Filho

J. Thomaz Filho
J. Thomaz Filho é escritor, poeta, compositor e também letrista, parceiro de Frei Fabreti em dezenas de músicas litúrgicas, entre elas "Imaculada", "O Amor de Deus", "Grande é o Senhor", "Cantando a Beleza da Vida", "Venham Comigo" e "Vejam". Atuou por mais de dez anos no Colégio Santa Catarina (Petrópolis/RJ) lecionando ética. Trabalha junto a grupos de reflexão bíblica e formação cristã. Foi agraciado com o prêmio "Poesia e Liberdade" pelo Centro Alceu Amoroso Lima (2010). Para falar com J. Thomaz Filho, utilize nosso formulário de contato.