PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 36 visitantes e Nenhum membro online

NADA TE PERTURBE... Jo.14,1-6

Os anos 90, época em que o evangelho de João foi escrito foi marcado por muita
perseguição aos cristãos. Nesse tempo as comunidades viviam momentos de medo e
insegurança. Fazer memória da conversa de Jesus com seus discípulos na última ceia
era uma experiência reconfortante.

 

Jo.14,1-2: “Que o coração de vocês não fique perturbado. Vocês acreditam em Deus;
acreditem em mim também. Na casa do meu Pai há muitas moradas. Se assim não
fosse, eu lhes teria dito; porque vou preparar um lugar para vocês”

Jesus está falando para os discípulos durante a última ceia. Foi uma conversa amiga e
demorada. Podemos imaginar pelas palavras de Jesus que o ambiente era de
insegurança e perturbação.

Como não ficar preocupado e inseguro com a eminência de perder um amigo tão
importante? Para os discípulos e muita gente do povo especialmente os ensinamentos
de Jesus tinham sentido. Para as lideranças políticas e religiosas que oprimiam o povo
a mensagem de Jesus era um atentado à segurança deles.

O medo, a frustração muitas vezes nos levam a abandonar a missão. Para os
momentos de incerteza o evangelho nos orienta e nos conforta: “... vou preparar um
lugar para vocês.

Jo.14,3-4: “E quando eu for e tudo estiver preparado, voltarei e levarei vocês comigo,
para que vocês também estejam onde eu estiver. E para onde eu vou, vocês
conhecem o caminho”.

Jesus se despede e diz que vai preparar um lugar e depois retornará para levá-los com
Ele para a casa do Pai. Quer que estejam todos com Ele para sempre. Será que essas
palavras reconfortaram os discípulos? Perderam o medo? Pelo que sabemos, isso não
aconteceu... E nós acreditamos nisso?

O retorno que Jesus fala seria a vinda do Espírito que ele manda e que age em nós,
para que possamos viver como Ele viveu: “Ele me glorificará, porque vai receber do que
é meu, e o anunciará a vocês”. (Jo.16,14)

Quem conhece Jesus conhece o caminho, pois o caminho é a vida que ele viveu e que
o levou através da morte para junto do Pai.

Jo.14,5-6: Tomé lhe disse então: “Senhor, nós não sabemos para onde vais; como
podemos conhecer o caminho? ” Jesus lhe disse: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a
Vida. Ninguém chega ao Pai, a não ser por mim. ”

Três palavras importantes. Sem caminho, não se anda. Sem a verdade, não se acerta. Sem
vida, só há morte! Jesus explica o sentido.

Lição importante que aprendemos com Tomé: era alguém que não tinha medo de
perguntar, de buscar a verdade. Era alguém que não podia viver com uma pergunta
sem resposta. Sou muito parecido com ele! Tomé é o primeiro a quem é feita a
revelação: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”.

Podemos dizer que esta intervenção de Tomé nos dá a convicção de que temos o
direito, por assim dizer, de pedir explicações a Jesus, de conversar com Ele com
confiança e pedir que nos ajude a compreender aquilo que não entendemos, aquilo
que acontece em nossas vidas. Ele certamente nos ouve e nos ajuda a compreender.

Jesus é o Caminho, porque “ninguém vai ao Pai senão por mim”. Jesus é a Verdade,
porque, olhando para ele, estamos vendo a imagem do Pai. “Se vocês me conhecem,
conhecerão também o Pai! ” Jesus é a Vida, porque, caminhando como Jesus caminhou
estaremos unidos ao Pai e teremos vida em nós.

Artigos Relacionados

Nenhum artigo encontrado


Seleções PFP ASP

Seleções da PFP ASP
Textos selecionados pelos membros e colaboradores da Pastoral Fé e Política da Arquidiocese de São Paulo, com temáticas e autores variados. Para qualquer crítica ou sugestão, fale conosco por meio de nosso formulário de contato.